Salvai Portugal - Ideias Precisam-se

Autor Tópico: Os candidatos ao Tacho Dourado  (Lida 828 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ruy Deus

  • Administrador
  • *****
  • Mensagens: 115
  • Likes: +13/-0
    • Ver Perfil
Os candidatos ao Tacho Dourado
« em: 11, Maio, 2014, 10:55:30 »
Partido Socialista – PS (Francisco Assis);

Só trabalhou para o partido

Estudou num colégio católico e licenciou-se em Filosofia , pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Professor do ensino secundário, é militante do Partido Socialista desde 1985. Foi Presidente da Câmara Municipal de Amarante, de 1990 a 19951 , e deputado à Assembleia da República, desde o último desses anos. Foi, pela primeira vez, presidente do Grupo Parlamentar do PS, entre 1997 e 2002. Saiu para ocupar o cargo de deputado ao Parlamento Europeu, onde permaneceu até 2009. Pelo meio foi eleito presidente da Federação Distrital do PS do Porto e candidato à Câmara Municipal do Porto, nas eleições autárquicas de 2005, saindo derrotado por Rui Rio. Manteve-se como deputado no Parlamento Europeu até ao final do seu mandato, ao mesmo tempo que se mantinha como vereador no Porto. Em Julho de 2009 foi apresentando como cabeça-de-lista do Partido Socialista pelo Círculo da Guarda às eleições legislativas de 27 de Setembro, vindo a ser eleito para o mandato de 2009-2013. Foi, pela segunda vez, líder parlamentar do PS, entre 2009 e 2011. É comentador político na SIC Notícias e na TVI 24.


Aliança Portugal – PSD/CDS-PP (Paulo Rangel);

Advogado e empresário-politico


Paulo Artur dos Santos Castro de Campos Rangel (Vila Nova de Gaia, 18 de Fevereiro de 1968 ) é um jurista e político português.
Licenciado em Direito, em 1991, pertence ao Corpo Docente Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa, onde rege a disciplina de Ciência Política. Ao longo da sua experiência académica, foi bolseiro, o que lhe permitiu fazer investigação no estrangeiro, nos campos do Direito Constitucional, do Direito Administrativo e da Ciência Política, no Instituto Universitário Europeu e nas universidades de Bolonha, Génova e Freiburg. É também consultor jurídico, especialmente no campo do Direito Administrativo , e exerceu a advocacia na Osório de Castro, Verde Pinho, Vieira Peres, Lobo Xavier & Associados, de 1999 a 2005, sendo um dos actuais sócios da Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados, desde 2006. Quando ingressou na política activa preparava, na Universidade Nova de Lisboa, a sua tese de doutoramento em Direito Constitucional, sob a orientação de Gomes Canotilho.
Entrou na política quando lhe confiaram a redacção do programa de candidatura do PSD e doCDS-PP à Câmara Municipal do Porto, encabeçada por Rui Rio, em 2001. Aproximou-se então do CDS-PP, chegando a filiar-se, a convite de Lobo Xavier. Quando Aguiar-Branco foi nomeado ministro da Justiça do XVI Governo Constitucional (PSD/CDS-PP), foi chamado a desempenhar as funções de secretário de Estado Adjunto da Justiça. Nas listas do PSD, foi eleito deputado à Assembleia da República, pelo Círculo do Porto, em 2005 . Com a chegada de Manuela Ferreira Leite à Comissão Política Nacional, foi eleito presidente do Grupo Parlamentar do PSD, em Junho de 20084 . Em 2009 foi a escolha de Ferreira Leite para encabeçar a lista do partido às eleições para o Parlamento Europeu , das quais saiu vencedor . No Parlamento Europeu coordena o Grupo Europeu do PSD e é vice-presidente do Grupo Parlamentar do PPE. Em Fevereiro de 2010 candidatou-se à liderança do PSD , saíndo derrotado por Pedro Passos Coelho.
Entre as restantes actividades que exerceu foi membro do Conselho de Redacção da revista Jurisprudência Constitucional e do Conselho Editorial da Universidade Católica Portuguesa, é colunista regular no jornal Público e comentador pontual da RTP.



CDU – Coligação Democrática Unitária – PCP/PEV (João Ferreira);

Comunista de profissão com pequenos tachos


J oão Ferreira, 34 anos, actual eurodeputado, é o cabeça de lista da CDU (coligação PCP/PEV) às próximas eleições para Parlamento Europeu, apurou o PÚBLICO.
É a primeira vez que o comunista, membro do comité central do PCP, encabeça a lista já que em 2009 a candidata número um foi Ilda Figueiredo, que entretanto cessou funções como eurodeputada. Em Dezembro de 2011, Ilda Figueiredo foi substituída por Inês Zuber com a justificação de renovação de quadros do partido.
Biólogo de formação, João Ferreira foi a aposta da CDU (PCP/PEV) para a Câmara Municipal de Lisboa nas últimas autárquicas, em Setembro de 2013, e foi eleito vereador. Foi membro da direcção da associação de estudantes, do conselho directivo, da assembleia de representantes e do conselho pedagógico da Faculdade de Ciências da Universidade de Nova de Lisboa. O comunista foi fundador e primeiro presidente da Associação de Bolseiros de Investigação Científica de 2003 a 2007.
Ao que o PÚBLICO apurou, o nome de João Ferreira confirma esta política de rejuvenescimento interno e uma aposta numa figura que tem um percurso que o partido reconhece desde a sua intervenção como dirigente estudantil associativo até ao seu trabalho como autarca e no Parlamento Europeu.
O eurodeputado é vice-presidente do Grupo Confederal da Esquerda Unitária Europeia/ Esquerda Verde Nórdica. É membro da comissão de Pescas, da comissão de Orçamento e da comissão de Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar, da Assembleia Paritária e da delegação para as relações com os países da Comunidade Andina.
Em 2009, Ilda Figueiredo e João Ferreira foram os dois eurodeputados eleitos pelo PCP, com uma votação de 10,6%, pouco abaixo do BE (10,7%), sendo a quarta força política. Nas últimas eleições europeias, a coligação CDU pretendia eleger um terceiro deputado, mas não conseguiu.



Partido da Terra – MPT (António Marinho e Pinto);

Trabalhou e principalmente, é honesto e patriota


Filho do Professor Joaquim da Silva Marinho Pinto, Medalha da Ordem da Instrução Pública a 3 de Dezembro de 1963 e Oficial da Ordem de Benemerência a 20 de Junho de 1973. É casado e tem duas filhas.
Licenciado em Direito, iniciou a sua carreira como jornalista, tendo exercido funções de direcção na ANOP - Agência Noticiosa Portuguesa, entre 1979 e 1986, e depois na Lusa, entre 1984 e 1987. Foi assessor do Governo de Macau, entre 1987 e 1988, e voltou ao jornalismo, como redactor do Expresso, entre 1989 a 2006. Foi assistente convidado do Instituto Politécnico de Coimbra, entre 1994 e 1995, e na Universidade de Aveiro, até 2002, coordenou a Pós-Graduação em Jornalismo Judiciário da Universidade Lusófona, em 2001, e foi professor auxiliar convidado na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, de 2005 a 2008.
Activista contra a ditadura, foi membro do MDE - Movimento Democrático Estudantil, acabando preso pela PIDE, em Fevereiro de 1971. Em 1973 foi membro executivo da Comissão Pró-Reabertura da Associação Académica de Coimbra, aderindo por essa altura à Juventude Comunista Portuguesa. Depois do 25 de Abril de 1974, seria designado membro da Comissão Nacional para a Liberdade de Informação, em 1978, e eleito para a Direcção do Sindicato dos Jornalistas, em 1986. Na Ordem dos Advogados foi membro do Conselho Geral e presidente da Comissão de Direitos Humanos, entre 2002 e 2003. Em 2007 seria eleito o 24.º Bastonário da Ordem, tomando posse em 2008,  sendo reeleito em 2010, tomando posse em 2011. Nesse ano foi director convidado a 15 de Março da edição de aniversário do Diário As Beiras, que se edita em Coimbra. Proferiu várias conferências, assinou artigos no Expresso, no Boletim da Ordem dos Advogados, no Diário de Coimbra e publicou os livros As faces da Justiça, em 2003, Dura Lex - retratos da Justiça portuguesa, em 2007, e Um combate desigual, em 2010.

Offline Ruy Deus

  • Administrador
  • *****
  • Mensagens: 115
  • Likes: +13/-0
    • Ver Perfil
Re: Os candidatos ao Tacho Dourado
« Responder #1 em: 13, Maio, 2014, 20:25:40 »
É muito mais do que um tacho Dourado sem fazer nenhum. É mesmo de Diamante:

SUBSÍDIOS E SUBVENÇÕES
Subsídio mensal: o vencimento bruto de um eurodeputado são €7 956,87; após imposto comunitário e contribuição para seguro, desce para €6 200,72, sobre os quais os Estados-membros podem aplicar impostos nacionais;

Subsídio "de estadia": são €304 para cobrir despesas (de alojamento e despesas conexas) por cada dia que os deputados compareçam em reuniões oficiais, desde que assinem um registo de presença.
Pela comparência em reuniões fora da UE, recebem €152 (mais reembolso das despesas de alojamento).
Despesas de viagem: os deputados têm direito ao reembolso do custo das viagens para participar nas reuniões plenárias (em Bruxelas ou Estrasburgo) ou outras, decorrentes do exercício do cargo, mediante apresentação dos recibos ou a €0,50 por km (a que acrescem outras despesas de viagem), se a viagem for efetuada em automóvel privado.

Subsídios para despesas gerais: são €4 299 mensais, para "cobrir despesas no Estado-membro de eleição", como, por exemplo, os custos de gestão de um gabinete, telefone,  correio ou material informático;
Despesas com pessoal: os deputados podem escolher o seu staff e, para tal, têm disponível um máximo de €21 209 mensais, pagos diretamente aos colaboradores. Um quarto deste orçamento (no máximo) pode ser usado para pagar serviços, como a realização de estudos técnicos.

Escola Europeia: os filhos dos deputados têm acesso à Escola Europeia, que podem frequentar gratuitamente, com total equivalência ao sistema de ensino português.
Pensão: os antigos deputados têm direito a uma pensão de aposentação, ao atingirem 63 anos. A pensão ascende a 3,5% do subsídio por cada ano de mandato, até ao limite máximo de 70% do vencimento.



Offline Miyujisx

  • Novo Tuga
  • *
  • Mensagens: 3
  • Likes: +0/-0
  • Salvai Portugal Porra!
    • Ver Perfil
Re: Os candidatos ao Tacho Dourado
« Responder #2 em: 10, Agosto, 2018, 03:32:32 »
Это новые знания, которые только что узнали о упомянутых проблемах.