Salvai Portugal - Ideias Precisam-se

Autor Tópico: Hipocrisia da lei, ou interesses sujos atrás? - A Cannabis  (Lida 816 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ruy Deus

  • Administrador
  • *****
  • Mensagens: 115
  • Likes: +13/-0
    • Ver Perfil

Substancias ilícitas menos prejudiciais que as legais

Segundo David Nutt, o álcool deve figurar como a quinta droga mais perigosa depois da heroína, a cocaína, barbitúricos e metadona, enquanto o tabaco surge em nono lugar. A 'cannabis', LSD e ecstasy encontram-se, respectivamente, no 11.º, 14.º e 18.º desta lista de substâncias nocivas para a saúde.
O especialista, citado pela Folha Online, adverte que fumar 'cannabis' cria um risco "relativamente pequeno" para a saúde mental, mas sublinha que o álcool e o tabaco são mais perigosos e têm piores consequências
Dizer que a cannabis tem sido dada uma má reputação ao longo das últimas décadas é um eufemismo. Se você é como a maioria dos portugueses, você foi levado a acreditar que a cannabis é uma droga perigosa e viciante que tem destruído a vida de milhões de adolescentes e adultos. Você foi encorajado a acreditar que a cannabis causa câncer de pulmão e é um "uma porta de entrada" para drogas mais pesadas. O governo ainda tentou convencê-lo de que a maioria das pessoas que usam cannabis são perdedores que se sentam em torno de sofás dia todo sem fazer nada.
O que gostaríamos de fazer é limpar a lousa e começar de novo. Esqueça tudo que você já ouviu falar no passado e tenha  a mente aberta para a verdade sobre a cannabis. Nós não estamos aqui para dizer-lhe que ela não tem danos ou é algum tipo de droga milagrosa. Nós simplesmente esperamos que você venha a entender que é muito, muito menos prejudicial do que o que o seu governo lhe disse.
Parte do problema é que muitas pessoas, simplesmente não estão familiarizados com a cannabis. Elas foram condicionadas a pensar que o uso da cannabis é ruim e que as pessoas que o usam são perigosas ou estranhas ou talvez até mesmo sujas.
A verdade é que a marijuana é amplamente usada de uma maneira muito semelhante ao do álcool. Adultos podem consumi-la antes de desfrutar de um jantar com os amigos. Amigos podem fumar um pouco antes de se envolver em um jogo de social. E cônjuges - sim, até mesmo alguns casais que você conhece - podem fumar um pouco, enquanto desfrutam de uma noite romântica juntos.
Nada disso é "ruim" ou "errado" ou "imoral." É simplesmente algo que estes adultos responsáveis escolheram fazer. E muitas vezes é algo que eles escolhem fazer especificamente em vez de álcool. E por uma boa razão! Álcool é mais tóxico, mais viciante, mais prejudicial para o corpo, mais propenso a resultar em lesões, e mais propensos a levar a violência interpessoal do que a cannabis.

Uso de álcool danifica o cérebro. O uso da cannabis não. Apesar dos mitos que ouvimos ao longo de nossas vidas sobre cannabis matar células cerebrais, verifica-se que um número crescente de estudos parecem indicar que a cannabis na verdade, tem propriedades neuroprotetoras. Isso significa que ele trabalha paraproteger as células do cérebro de danos. Por exemplo, um estudo recente descobriu que os adolescentes que usaram cannabis, bem como álcool sofreram significativamente menos danos à matéria branca em seus cérebros. Naturalmente, o que está fora de questão é que as células álcool danifica cérebro.
Álcool é mais viciante do que a cannabis. pesquisadores Addiction têm consistentemente relatado que a cannabis é muito menos viciante do que o álcool com base em uma série de fatores. Em particular, o uso do álcool pode resultar na supressão física significativa e potencialmente fatal, enquanto na marijuana não foi encontrada a produção de quaisquer sintomas de abstinência física. Aqueles que usam o álcool também são muito mais propensos a desenvolver dependência e construir tolerância.

A cannabis é a menos perigosa, pois não vicia nem é uma droga de passagem, como o governo quer que você acredite. O álcool e o tabaco são muito viciantes e ambos podem e, em muitos casos, causam problemas de saúde graves e com o uso a longo prazo, pode causar a morte. Cannabis quando usado com responsabilidade não irá causar quaisquer efeitos nocivos e nunca houve uma overdose fatal de cannabis.

O álcool e o tabaco são mais perigosos que o ecstasy e a marijuana
Segundo um novo estudo britânico, o álcool e o tabaco são mais perigosos que as drogas ilegais tais como a marijuana ou o ecstasy. No artigo publicado sexta-feira na revista The Lancet, o professor David Nut, da Universidade Britânica de Bristol, e vários colegas seus propuseram um novo critério de classificação de substâncias perigosas baseado nos riscos reais que estas colocam à sociedade.

O novo critério lista o álcool e o tabaco no grupo das 10 substâncias mais perigosas.
O professor Nutt e os seus colegas usaram três factores para determinarem os perigos associados a qualquer droga: o mal físico causado ao utilizador, o potencial de dependência, e o impacto que a droga tem na sociedade.

Os professores convidaram dois grupos de especialistas - psiquiatras especializados em toxicodependência, e funcionários jurídicos ou policiais com especialização científica ou médica - para classificarem 20 tipos de drogas diferentes, incluindo a heroína, a cocaína, o ecstasy, as anfetaminas, e o LSD.
Baseando-se na classificação individual de cada especialista, o professor Nutt e os seus colegas calcularam uma classificação geral para cada droga. Ao verem as classificações finais todos os especialistas concordaram entre si - mas discordaram com a classificação britânica existente sobre substâncias perigosas.
A heroína e a cocaína foram classificadas como as substâncias mais perigosas, seguidas dos barbitúricos e da metadona vendida na rua. O álcool foi considerado a quinta droga mais prejudicial, e o tabaco a nona. A marijuana veio em décimo primeiro lugar, e o ecstasy ficou quase no fim da lista.

Segundo as políticas de drogas em vigor nos Estados Unidos e no Reino Unido, o álcool e o tabaco são legais, enquanto a cannabis e o ecstasy são ilegais. Relatórios anteriores, incluindo um estudo feito por um conselho parlamentar no ano passado, questionaram o raciocínio científico do sistema de classificação de drogas britânico.

'O sistema de drogas em vigor é mal pensado e arbitrário', afirmou Nutt, referindo-se à prática do Reino Unido de separar as drogas em três grupos distintos, ostensivamente baseada no potencial de risco de cada droga. 'A exclusão do álcool e do tabaco da Acta de Abuso das Drogas é, de um ponto de vista científico, arbitrária', escreveram Nutt e os seus colegas na revista The Lancet.

O tabaco é responsável por 40% de todas as doenças hospitalalizadas, enquanto o álcool é culpado por mais de metade de todas as visitas de emergência aos hospitais. Estas substâncias também afectam a sociedade de outras formas, prejudicando famílias e ocupando os serviços policiais

O álcool é um tipo de droga licita depressora de ação central ou psicolépticos é uma substância capaz de diminuir as atividades cerebrais, possuindo também alguma propriedade analgésica. Efeitos sobre as pessoas: tornam-se sonolentas, lerdas, desatentas e desconcentradas.
A dependência da cannabis vem sendo diagnosticada há algum tempo, nos mesmos padrões das outras substâncias. Muitos estudos comprovam que os critérios atuais de dependência aplicam-se muito bem à dependência da cannabis bem como de outras drogas.
A cannabis é considerada pela maioria dos especialistas como uma droga menos tóxica e que provoca menos dependência que o álcool. A toxidade da cannabis recebeu nota 0,99, inferior às do álcool (1,40) e do tabaco (1,24) e muito distante de drogas pesadas como heroína (2,78) e cocaína (2,33). Também em relação à dependência, a cannabis se mostrou menos prejudicial que outras drogas, recebendo nota 1,51, abaixo das do álcool (1,93) e do tabaco (2,21) e bem menor que das drogas pesadas como heroína (3,00) e cocaína (2,39).
A toxidade aguda (aquela produzida por uma única dose) da cannabis é desprezível e não há registros de pessoas que tenham morrido por overdose de cannabis ou cuja saúde tenha sofrido algum dano devido ao uso esporádico da erva. A toxidade crônica (aquela proporcionada pela exposição contínua à droga) é significativa, mas inferior aos danos causados pelo tabaco e pelo álcool. É bastante provável que o uso contínuo de cannabis aumente as chances de se desenvolver câncer, principalmente porque muitos dos usuários da cannabis não utilizam qualquer tipo de filtro.
É sabido também que o uso da cannabis prejudica a memória de curto prazo, mas estes efeitos normalmente desaparecem quando se cessa o uso. Não há indícios de que a droga provoque danos cerebrais permanentes, e as pesquisas mais recentes já demonstraram ser falso o popular discurso de que “cannabis queima neurônios”.A dependência causada pela cannabis também é inferior às provocadas pelo álcool e pelo cigarro. O usuário pode desenvolver tolerância à cannabis e precisar utilizar cada vez maior quantidade da droga para produzir o mesmo efeito psicoativo, mas após uma interrupção do seu uso por alguns dias, a tolerância desaparece.
A ciência tem provado a cada dia que a cannabis é uma droga muito menos tóxica e que gera menor dependência que as drogas legalizadas. Então por que criminalizar tanto a cannabis e continuar a permitir a comercialização de bebidas alcoólicas e cigarros de nicotina, que causam muito mais dependência?
Na maioria das vezes isso acontece por ignorância científica – ou pior – por falta de coragem política de quem legisla para desafiar o senso comum e iniciar um debate sério sobre a legalização da cannabis.
« Última modificação: 30, Abril, 2014, 14:59:40 por Ruy Deus »

Offline Northwest

  • Novo Tuga
  • *
  • Mensagens: 2
  • Likes: +0/-0
  • Salvai Portugal Porra!
    • Ver Perfil
Re: Hipocrisia da lei, ou interesses sujos atrás? - A Cannabis
« Responder #1 em: 31, Janeiro, 2018, 05:22:02 »
How much more can I learn and can you recommend me?

Offline Gilbertnut

  • Novo Tuga
  • *
  • Mensagens: 2
  • Likes: +0/-0
  • Salvai Portugal Porra!
    • Ver Perfil
    • แทงบอลออนไลน์
Re: Hipocrisia da lei, ou interesses sujos atrás? - A Cannabis
« Responder #2 em: 29, Março, 2018, 09:01:25 »
Eu quero saber muito disso. É uma ótima história. Eu quero saber muito